Image by Giacomo Carra

O avanço do câncer de mama no mundo

Máscara vestindo da mulher

Uma pandemia que a pandemia da covid-19 esconde

Introdução

Você tem observado suas mamas? Você tem marcado seus exames anuais? Você conhece seus fatores de risco? Essas três perguntas-chave foram pauta de uma campanha de prevenção ao câncer de mama que – certamente – salvou muitas vidas em 2020. Mas a pandemia agravou tudo.
 
Agora, em 2021, a FEMAMA volta a lançar luz a uma nova perspectiva de conscientização da sociedade, totalmente focada em mostrar dados simplesmente assustadores sobre uma pandemia que a pandemia da covid-19 esconde: o recrudescimento das taxas de mortalidade por câncer devido a uma falta de cuidados médicos, efeito colateral causado por conta do distanciamento social recomendado e necessário.

 
 

#01

Óbitos por câncer aumentam em até 13% a cada mês de atraso no tratamento, revela estudo

➔ Segundo uma tese científica publicada pelo The British Medical Journal, os óbitos por câncer aumentam em até 13% a cada mês de atraso no tratamento. Mais de 34 estudos foram analisados e 1,2 milhão de pacientes entrevistados;


➔ Essas interrupções afetam as instalações hospitalares em 77,5% dos casos, pois não havia leitos disponíveis para cirurgias eletivas;
 

➔ Já a cadeia de suprimentos teve uma baixa de 79%;
 

➔ A disponibilidade de pessoal caiu cerca de 60%, já que muitos médicos e enfermeiros focaram apenas no atendimento da C-19. 
 

➔ Os autores estimam que adiar uma cirurgia de câncer de mama por 12 semanas resulte em 6.100 mortes adicionais somente nos Estados Unidos e outras 1.400 no Reino Unido. 

Dose diária de vitaminas
Daisy rosa

Com isso, o artigo confirma que os atrasos no tratamento do câncer estão aumentando o risco de morte em pacientes do mundo todo. Obviamente, o isolamento é eficaz para evitar a propagação do vírus, porém a população não pode deixar de se submeter aos exames de diagnóstico ou cirurgias. A interrupção do tratamento ou a falta de diagnóstico traz um aumento significativo no número de mortes.

#02

A falta de diagnóstico precoce mata milhares de mulheres no Brasil
Doutor com Mamografia
Image by Angiola Harry
Image by Sandy Millar
Lily-de-rosa

O Ministério da Saúde do Brasil também revelou que, segundo o SUS (Sistema Único de Saúde), o número de mamografias realizadas até julho de 2020 foi de apenas 1,1 milhão, contra 2,1 milhões nos mesmos períodos de 2018 e 2019. Ou seja, mais de um milhão de mulheres não realizaram mamografias durante a pandemia.
 
➔ Em 2020, foram diagnosticados cerca de 66 mil novos casos de câncer de mama;
➔ Isso equivale a 29,7% dos casos gerais de câncer;
➔ Cerca de 18 mil mulheres vieram a óbito por conta de doença, segundo dados do INCA.

A diferença de aproximadamente 800 mil exames não realizados em 2020 deve significar algo em torno de 4 mil casos de câncer de mama não diagnosticados, considerando estimativas da taxa de detecção da doença nas mamografias digitais (em média de 5 casos detectados para 1000 exames), segundo dados publicados na Revista de Saúde Pública, na edição de abril de 2021.

#03

ASCO revela que os serviços oncológicos foram afetados pela pandemia

Já uma revisão sistemática realizada pela ASCO (American Society of Clinical Oncology), e publicada no JCO Global Oncology, revela que a disponibilidade e manutenção de serviços oncológicos parecem ter sido substancialmente afetadas pela pandemia.

➔ A interrupção na cadeia de suprimentos - que inclui desde medicamentos até manutenção técnica de equipamentos de imagem - foi relatada por até 79% dos centros entrevistados;


➔ A escassez de medicamentos motivou a modificação dos regimes de quimioterapia em 36% dos casos;
 

➔ 43% dos centros relataram dificuldade de acesso ou acesso reduzido à medicação anticâncer;
 

➔ A taxa de hospitalização também foi reduzida em até 30% em relação ao período pré-pandémico.

hospital
Comprimidos no frasco boticário
Lily rosa
Surgeons

Os frequentes atrasos e as interrupções nos tratamentos e nas cirurgias, mesmo que involuntariamente, representaram um grande risco para o tratamento do câncer. A revisão sistemática apontou que é necessário traçar estratégias globais para que esses atrasos não ocorram mais. Com isso, muitas vidas podem ser salvas.

#04

Ministério da Saúde destina 150 milhões para rastreamento e detecção precoce do câncer de mama

O Ministério da Saúde publicou, em dezembro de 2020, a Portaria GM/MS 3712/2020 que disponibiliza, em caráter excepcional e temporário, incentivo financeiro federal para custeio de ações de rastreamento, detecção precoce e controle do câncer de mama e colo do útero no SUS durante a pandemia. O aporte é de R$ 150 milhões.

No final de março, a FEMAMA enviou ofícios para as 27 secretarias estaduais de saúde indagando os gestores públicos se já haviam apresentado a proposta ao Ministério da Saúde para inscrição no programa de incentivo financeiro. No mesmo dia, as ONGs da #RedeFEMAMA foram convocadas para fazer o mesmo e realizar pressão. 
 
Garantir essa verba extraordinária é muito importante, pois com ela um número maior de mulheres podem ser diagnosticadas precocemente e evitar mortes desnecessárias. Esse recurso vem como uma forma de tentar mitigar os exames de rastreamento não realizados em função da pandemia.

Ações da FEMAMA vão além desse momento de conscientização

A FEMAMA está preparando uma campanha ainda mais abrangente em 2021. Para que todos nós, com base na ciência e cooperação, tentemos frear essa também triste pandemia que a trágica pandemia Covid-19 esconde.

Lembre-se, quando for visitar seu médico ou fazer algum exame de rotina, use máscara e higienize suas mãos. É importante se cuidar, e isso envolve não deixar a saúde de suas mamas de lado!

 

Entre em contato

Telefone

(51) 3094.0017
 

Email

contato@femama.org.br

Endereço

Rua Dr. Vale, 157, Floresta

Porto Alegre / RS - Brasil

Mensagem enviada com sucesso!